Acará Bandeira

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Nome popular: Acará Bandeira.
Nome científico: Pterophyllum scalare 
Família: Ciclídeo 
Origem: Brasil, região amazônica. 
PH: neutro a ácido - 7,0 a 6,8. Podendo viver em água ligeiramente alcalina.
DH: Mole. 
Temperatura da água: 24° a 28°C. 
Alimentação: Tem predileção por vegetais, gosta de mordiscar plantas suculentas no intervalo das refeições, alimentos vivos, tubifex, artêmia, daphnia. Mas, na verdade, come de tudo. O ideal é variar bastante o cardápio, e de vez em quando oferecer ração à base de vegetais. 
Tamanho médio: Cresce conforme o espaço do aquário, podendo chegar a 15 cm em cativeiro. 
 Aquário ideal: Grande e bem plantado. 
*Apesar de gostar de aquário bem plantado a ornamentação não deve ser muito densa, para que possam nadar livremente. Nada adianta ter um aquário grande e ornamenta-lo com muitas plantas que ocupem em excesso o aquário. Substrato cor e espessura: Não tem preferência por espessura, mais prefere cascalho escuro. 
 Comportamento: De índole sociável e fácil adaptação. 
 Particularidade: Com algumas exceções em especial ao Disco, estas características se aplicam a todas as subespécies de Acará, embora o titulo seja Acará Bandeira. O Acará é um peixe pacífico, calmo e sociável. Convive amigavelmente com outras espécies, mas é temperamental e em alguns momentos pode se tonar agressivo. São vários os motivos que podem irrita-lo: falta de espaço no aquário, manuseio constante, superpopulação e *ornamentação inadequada, são alguns fatores estressantes. A agressividade pode ser momentânea ou sistemática. Quando é momentânea o aquarista não tem com que se preocupar. É normal em comunidade de Acarás um "bate bocas" de vez em quando, sem maiores conseqüências. Quando as brigas são sistemáticas (constantes), o peixe dominante persegue o subjugado, mordendo as nadadeiras e dando cutucadas (encontrões). Ataques constantes debilita o peixe, uma vez ferido torna-se vulnerável à bactérias e fungos e quando não tratado a tempo o resultado é a morte. Neste caso a solução é retirar o peixe mais agressivo do aquário e a paz voltará a reinar. Caso o aquarista retire o peixe mais fraco do aquário, fatalmente o peixe dominante irá encontrar outra vítima. É apenas uma questão de tempo, pois esta é a sua personalidade. Mas isto não acontece em todos os aquários, são fatos isolados que podem ser facilmente evitados.
Não é raro o aquarista ir a uma loja e cuidadosamente escolher um Acará, e introduzi-lo no aquário com todo cuidado. Algum tempo depois este Acará começa a infernizar a vida do seus pretensos amigos, este fato ocorre porque alguns indivíduos tem a personalidade agressiva ou muito dominante, embora seja classificado como pacifico. Neste caso a solução é a mesma, separa-lo do grupo. Territorialista, este é uma característica marcante do Acará e motivo de muita discórdia. O Acará gosta de viver em pequenos grupos (cardume de 3 a 5 indivíduos). Estes grupos demarcam um território onde passam a maior parte do tempo. Quando introduzi-mos no aquário outro grupo de subespécie diferente, este segundo grupo também demarcará o seu território e assim por diante. Se o aquário for grande e bem montado tudo ficará bem. Como já disse um "bate bocas" de vez em quando é normal. O problema maior está na superpopulação, várias subespécies vivendo em um ambiente pequeno, neste caso as brigas serão intensas e constantes. As brigas mais acirradas ocorrem entre as subespécies. As brigas dentro do próprio grupo são poucas e normalmente sem maior conseqüência. É raro o Acará molestar um peixe de espécie diferente gratuitamente, normalmente o acará é respeitado e o invasor se afasta sem maiores problemas. Outra característica do Acará é acasalar-se é de forma monogâmica e duradoura com um indivíduo de sua subespécie: Suponhamos um aquário bem montado com 12 Acarás: 4 Bandeiras, 4 Ouro e 4 Véu. Quando algum destes peixes for procurar um(a) parceiro(a) para se acasalar, irá procurar o(a) parceiro(a) dentro da sua subespécie. São raros os casos de acasalamentos com subespécie diferente. 


Quando o aquarista tem esta sorte e consegue apurar a linhagem por três gerações consecutivas, surge uma nova subespécie. Os acarás são extremamente zelosos com as crias, tomam conta de sua prole e para defende-los de possíveis predadores usam a "força". O Acará bandeira é o mais popular é muito dócil, quando bem cuidado e vivendo em um aquário harmonioso, em pouco tempo vem comer na mão do aquarista. Já o Ouro é mais territorialista e tímido, costuma dar carreiras, nos peixes que invadem o seu território e gosta de expandir "os seus domínios". Mas no geral não causa maiores problemas aos outros peixes. Pela sua beleza e graciosidade vale mante-lo em aquário comunitário, desde que seja grande e bem plantado. Quando jovem o Ouro tem o corpo prateado, na fase adulta sua cor vai mudando para um amarelo-prata bem brilhante, ficando mais acentuada na cabeça. O aquarista deve tomar cuidado pois ele se assusta com facilidade. Não gostam de companhias muito "animadas", e não devem dividir o aquário com peixes roedores de barbatanas. São sensíveis à mudanças brusca de temperatura e ph. Dimorfismo sexual: Fêmeas com oviduto nítido e ventre volumoso. Reprodução: Ovíparos. Relativamente fácil em aquário com plantas e pedras. O macho cuida dos filhotes. defender com toda a determinação esse território das investidas de outros peixes!



Marcadores: ,

17 comentários:

  1. Suca disse...:

    Estou iniciando neste delicioso passatempo e queria saber; que tipo de plantas posso usar que se fixem em trocos na água?

  1. Suca disse...:

    Estou iniciando neste delicioso passatempo e queria saber; que tipo de plantas posso usar que se fixem em trocos na água?

  1. Os Acarás Bandeiras podem dividir o mesmo aquário com NEON's?

  1. Anônimo disse...:

    Amigo poder até pode só que o néon exige um ph mais ácido .

  1. Ai fera tenho um aquario de 200 litros n e plantado e ele ta vi vemdo bem so tenho 2 deles o resto e tudo carpa se acha q mais pra frente as carpa pode acabar comendo eles.

  1. Marcos Esteves disse...:

    Guilherme, provavelmente não.

  1. Marcos Esteves disse...:

    Roger, podem viver tranquilamente.

  1. Anônimo disse...:

    eu tenho dois acaras bandeira ele pode viver num aquário sem plantas e somente com um cascalho?

  1. Marcos Esteves disse...:

    Anonimo:

    o ideal é ter algumas plantas. viver em um ambiente só com cascalho pode não ser bom para essa espécie.

  1. Alyne e Adriano disse...:

    Olá, as plantas a que se referem os comentários podem ser plantas artificiais?

  1. Anônimo disse...:

    Plantas artificiais são só enfeites, é claro que muitas delas criam um ambiente para que os peixes se esconda quando estão estressados ou algo assim, mas o ideal mesmo são plantas naturais.

  1. Anônimo disse...:

    Posso colocar um acará bandeira junto com 2 kinguios filhotes?
    No meu aquário não tem plantas só um cascalho artificial laranja (não solta a cor)
    Os acarás precisam do filtro e das bolhas para respirarem? ou eles não precisam?

    Obrigado!!!

  1. Marcos Esteves disse...:

    Os bandeiras e os kinguios são pacíficos e bem sociáveis. a chance de conviverem bem é quase 100%. Mas é bom lembrar que são animais, e a sempre comportamentos que são inesperado.

  1. No meu aquário tem néon e Acara..sobre o Ph consegui adaptá los bem.

  1. No meu aquário tem néon e Acara..sobre o Ph consegui adaptá los bem.

  1. Meu amigo o acara tem ph acido o kinguio ph alcalino sem s falar q o acara ira machugar seu kinguio

  1. Anônimo disse...:

    Eu tenho 3 acaras e tinha 2 kinguios, mas eles mataram um e machucaram gravemente o outro, eles são agressivos!!! (não recomendo)

Postar um comentário